1

Para Refletir...

"A paz em ti ajudar a produzir-se a paz no mundo." - Joanna de ngelis

 
Erro
  • XML Parsing Error at 1:102. Error 9: Invalid character
Avaliação do Usuário: / 25
PiorMelhor 

a-arte-de-ouvir-e-a-sabedoria-de-falarMuitas vezes somos trados pela tendncia de falar sem pensar e de forma irrefletida.

Deus, em sua infinita sabedoria, nos fez possuidores de uma s boca e dois ouvidos, querendo com isso que utilizssemos em dobro nossa capacidade de ouvir e nos habitussemos conteno de palavras inteis e julgamentos inconvenientes.

Geralmente, quando estamos zangados, expressamos juzos e conceitos dos quais muito nos arrependemos, quando a calma sobrevm. Mas, muitas vezes, esse arrependimento no suficiente para remediarmos os danos causados nas outras pessoas.

Charles Chaplin cunhou uma frase que me parece bastante apropriada para nos alertar sobre a armadilha do falar demais: Cuidado com as palavras pronunciadas em discusses e brigas que revelem sentimentos e pensamentos que na realidade voc no sente e no pensa pois, minutos depois, quando a raiva passar, voc delas no se lembrar mais Porm, aquele a quem tais palavras foram dirigidas, jamais as esquecerᅔ.

Geralmente, reagimos com visvel desagrado a dicas e sugestes de pessoas que nos querem bem, visando nossa melhoria ntima. So temas que nos parecem chatos e maantes. Certamente, se levadas em conta, muitas dessas palavras plenas de sabedoria representariam mudana de conduta e o abandono de muitos vcios.

Nem sempre o falar demais manifesta-se nas horas de raiva. Muitas vezes, a tendncia em falar mais da vida alheia que dos valores que nos enriquecem a existncia incentiva a proliferao de boatos e fofocas.

Quando surge um colega trazendo informaes sobre as ltimas novidades dos namoros, demisses e problemas dos outros, o tempo que parecia no existir aparece, o cansao e a falta de pacincia cedem imediatamente lugar ao interesse e curiosidade.

Como seria proveitoso se pudssemos dedicar esse mesmo interesse e ateno para ouvir e ajudar muitos amigos que nos procuram para um dilogo saudvel, muitas vezes com inquietaes e angstias e ns simplesmente no temos tempo e sensibilidade suficientes para escutar.

Alis, como difcil para todas as pessoas parar para escutar. Somos vidos por falar; vivemos ansiosos porque falamos muito e escutamos pouco ou quase nada. Nossa palavra sempre deve ter o maior peso. Queremos ter sempre a primeira e a ltima palavra.

Saber ouvir exige que faamos opo consciente em apreender o que se passa com o outro, de forma solidria e sem preconceitos, com o objetivo de buscarmos o entendimento.

O dilogo nem sempre uma tarefa fcil, pois envolve a disponibilidade para aprender novas idias, quando antes gostaramos de ensinar; humildade para reconhecer que no somos perfeitos e que no sabemos tudo a respeito de todos os assuntos e admitir a coerncia de fundamentos e idias que no so nossos.

Ouvir diferente do simples ato de escutar. Escutar o uso puro e simples do sentido da audio e s no escuta quem surdo. Ouvir muito mais profundo pois envolve a pessoa por inteiro e um processo ativo, ao contrrio do que a maioria das pessoas pensa ser.

Exercitar a arte de ouvir o nosso semelhante apura nossa sensibilidade, permitindo-nos romper a concha de isolamento criada pelo individualismo outra das caractersticas negativas da nossa personalidade e participar das experincias e emoes das outras pessoas.

Ouvir renunciar! a mais alta forma de altrusmo em tudo quanto essa palavra signifique de amor e ateno ao prximo. Talvez por essa razo a maioria das pessoas oua to mal, ou simplesmente no oua. Vivemos imersos em cogitaes pessoais e raro conseguirmos passar algum tempo sem pensar em ns mesmos.

Atitudes recorrentes daqueles que no sabem ouvir com ateno e pacincia:

a) Responder antes que o interlocutor tenha concludo seu pensamento.
b) Ficar impaciente diante de pessoas tentando explicar algo.
c) Olhar insistentemente para o relgio, paralisando a comunicao do outro.
d) Usar expresses faciais de enfado, desaprovao, invalidao, menosprezo, diante do assunto.
e) Desviar o olhar do rosto da outra pessoa.
f) Mudar abruptamente de assunto.
g) Fazer com que o outro se cale, dizendo que no adiantaria nada ouvi-lo.

Para falar bem no basta uma boca. H muita gente que, no sabendo us-la, tem feito um grande estrago com o que diz. Antes de nos julgarmos incompreendidos e injustiados pelo mundo, no nos devemos esquecer que a causa dos nossos problemas e do desencontro na relao com a outra pessoa pode estar alojada em ns mesmos.

Saber ouvir leva tempo, prtica e pacincia. uma arte que mantm vivos o respeito, a afeio, a amizade, o sentimento de confiana que o outro deposita em ns. Faz com que nossos clientes, colegas de trabalho, filhos, cnjuges e namorados, sintam-se como pessoas importantes e amigos privilegiados. Assuma, hoje mesmo, um compromisso de falar menos e ouvir melhor.

Existe um ensinamento que diz: o verdadeiro valor de um homem no pode ser encontrado nele mesmo, mas nas cores e texturas que faz surgir nos outros.

 

 

Artigos Relacionados:
A arte de falar na TV (854 Acessos)
Em termos gerais, autoridades e polticos no podem deixar de levar em considerao suas aparies nos Telejornais - o poder desses...
Como Superar o Medo de Falar em Pblico (983 Acessos)
Falar em pblico uma das atribuies mais importantes de todo profissional, seja para apresentar um projeto, vender uma idia ou at...
Voc tem Horror de Falar em Pblico? (753 Acessos)
Se a resposta sim, saiba que Voc est na companhia de quase toda a humanidade. temos conselhos prticos para que supere esse duro ...
Como enfrentar o horror de falar em pblico (705 Acessos)
sempre impressionante observar pessoas experientes, com grande capacidade, boa formao escolar, cultas, que, ao falar em pblico,...
Falar em pblico, voc deve. Vencer sua tenso, voc pode. (694 Acessos)
Artigo base para matria publicada no jornal O Globo em 06/06/99 “Falar em pblico”, por necessidades pessoais , por...


Adicione este artigo nas suas redes sociais!
 

Seja Bem Vindo!