1

Para Refletir...

"A paz em ti ajudar a produzir-se a paz no mundo." - Joanna de ngelis

 
Erro
  • XML Parsing Error at 1:102. Error 9: Invalid character

PDFImprimirE-mail
Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 

166945 206129162807460 120416284712082 448176 2033449332 nNada no Universo ocorre como fenmeno catico, resultado de alguma desordem que nele predomine. O que parece casual, destrutivo, sempre efeito de uma programao transcendente, que objetiva a ordem, a harmonia.

De igual maneira, nos destinos humanos sempre vige a Lei de Causa e Efeito, como responsvel legtima por todas as ocorrncias, por mais diversificadas apresentem-se.

O Esprito progride atravs das experincias que lhe facultam desenvolver o conhecimento intelectual enquanto lapida as impurezas morais primitivas, transformando-as em emoes relevantes e libertadoras.

Agindo sob o impacto das tendncias que nele jazem, fruto que so de vivncias anteriores, elabora, inconscientemente, o programa a que se deve submeter na sucesso do tempo futuro.

Harmonia emocional, equilbrio mental, sade orgnica ou o seu inverso, em forma de transtornos de vria denominao, fazem-se ocorrncia natural dessa elaborada e transata proposta evolutiva.

Todos experimentam, inevitavelmente, as consequncias dos seus pensamentos, que so responsveis pelas suas manifestaes verbais e realizaes exteriores.

Sentindo, intimamente, a presena de Deus, a convivncia social e as imposies educacionais, criam condicionamentos que, infelizmente, em incontveis indivduos do lugar s dvidas atrozes em torno da sua origem espiritual, da sua imortalidade.

Mesmo quando se vincula a alguma doutrina religiosa, com as excees compreensveis, o comportamento moral permanece materialista, utilitarista, atado s paixes defluentes do egotismo.

No fosse assim, e decerto, muitos benefcios adviriam da convico espiritual, que sempre define as condutas saudveis, por constiturem motivos de elevao, defluentes do dever e da razo.

Na falta desse equilbrio, adota-se atitude de rebeldia, quando no se encontra satisfeito com a sucesso dos acontecimentos tidos como frustrantes, perturbadores, infelizes...

Desequipado de contedos superiores que proporcionam a autoconfiana, o otimismo, a esperana, essa revolta, estimulada pelo primarismo que ainda jaz no ser, trabalhando em favor do egosmo, sempre transfere a responsabilidade dos sofrimentos, dos insucessos momentneos aos outros, s circunstncias ditas aziagas, que consideram injustas e, dominados pelo desespero fogem atravs de mecanismos derrotistas e infelizes que mais o degrada, entre os quais o nefando suicdio.

Na imensa gama de instrumentos utilizados para o autocdio, o que praticado por armas de fogo ou mediante quedas espetaculares de edifcios, de abismos, desarticula o crebro fsico e praticamente o aniquila...

No ficariam a, porm, os danos perpetrados, alcanando os delicados tecidos do corpo perispiritual, que se encarregar de compor os futuros aparelhos materiais para o prosseguimento da jornada de evoluo.

                          *

inevitvel o renascimento daquele que assim buscou a extino da vida, portando degenerescncias fsicas e mentais, particularmente a anencefalia.

Muitos desses assim considerados, no entanto, no so totalmente destitudos do rgo cerebral.

H, desse modo, anencfalos e anencfalos.

Expressivo nmero de anencfalos preserva o crebro primitivo ou reptiliano, o diencfalo e as razes do ncleo neural que se vincula ao sistema nervoso central

Necessitam viver no corpo, mesmo que a fatalidade da morte aps o renascimento, reconduza-os ao mundo espiritual.

Interromper-lhes o desenvolvimento no tero materno crime hediondo em relao vida. Tm vida sim, embora em padres diferentes dos considerados normais pelo conhecimento gentico atual...

No se tratam de coisas conduzidas interiormente pela mulher, mas de filhos, que no puderam concluir a formao orgnica total, pois que so resultado da concepo, da unio do espermatozoide com o vulo.

Faltou na gestante o cido flico, que se tornou responsvel pela ocorrncia terrvel.

Sucede, porm, que a genitora igualmente no vtima de injustia divina ou da espria Lei do Acaso, pois que foi corresponsvel pelo suicdio daquele Esprito que agora a busca para juntos conseguirem o inadivel processo de reparao do crime, de recuperao da paz e do equilbrio antes destrudo.

Quando as legislaes desvairam e descriminam o aborto do anencfalo, facilitando a sua aplicao, a sociedade caminha, a passos largos, para a legitimao de todas as formas cruis de abortamento.

...E quando a humanidade mata o feto, prepara-se para outros hediondos crimes que a cultura, a tica e a civilizao j deveriam haver eliminado no vasto processo de crescimento intelecto-moral.

Todos os recentes governos ditatoriais e arbitrrios iniciaram as suas dominaes extravagantes e terrveis, tornando o aborto legal e culminando, na sucesso do tempo, com os campos de extermnio de vidas sob o aodar dos mrbidos preconceitos de raa, de etnia, de religio, de poltica, de sociedade...

A morbidez atinge, desse modo, o clmax, quando a vida desvalorizada e o ser humano torna-se descartvel.

As loucuras eugnicas, em busca de seres humanos perfeitos, respondem por crueldades inimaginveis, desde as crianas que eram assassinadas quando nasciam com qualquer tipo de imperfeio, no servindo para as guerras, na cultura espartana, como as que ainda so atiradas aos rios, por portarem deficincias, para morrer por afogamento, em algumas tribos primitivas.

Qual, porm, a diferena entre a atitude da civilizao grega e o primarismo selvagem desses cls e a moderna conduta em relao ao anencfalo?

O processo de evoluo, no entanto, inevitvel, e os criminosos legais de hoje, recomearo, no futuro, em novas experincias reencarnacionistas, sofrendo a frieza do comportamento, aprendendo atravs do sofrimento a respeitar a vida

                      *

Compadece-te e ama o filhinho que se encontra no teu ventre, suplicando-te sem palavras a oportunidade de redimir-se.

Considera que se ele houvesse nascido bem formado e normal, apresentando depois algum problema de idiotia, de hebefrenia, de degenerescncia, perdendo as funes intelectivas, motoras ou de outra natureza, como acontece amide, se tambm o matarias?

Se exercitares o aborto do anencfalo hoje, amanh pedirs tambm a eliminao legal do filhinho limitado, poupando-te o sofrimento como se alega no caso da anencefalia.

Aprende a viver dignamente agora, para que o teu seja um amanh de bnos e de felicidade.


Joanna de ngelis
(Pgina psicografada pelo mdium Divaldo Pereira Franco, na reunio medinica da noite de 11 de abril de 2012, quando o Supremo Tribunal de Justia, estudava a questo do aborto do anencfalo, no Centro Esprita Caminho da Redeno, em Salvador, Bahia.)


Artigos Relacionados:
Anencfalo e abortamento (663 Acessos)
Inicialmente, lembramos que anencfalo, embora seja considerado sem crebro, na realidade portador de um segmento cerebral estando...
Estupro e Aborto na viso esprita (2376 Acessos)
Em diversas oportunidades, quando fizemos palestra sobre reencarnao e aborto, fomos questionados posteriormente sobre a dolorosa e...
Aborto (522 Acessos)
“Porque toda casa edificada por algum, mas o que edificou todas as coisas Deus.” - Paulo. (Hebreus, 3:4.) No caminho...
Aborto I (698 Acessos)
1 – Todas as religies condenam o aborto. E a Doutrina Esprita? O Espiritismo tambm o situa como crime. Vai mais longe: demonstra...
Aborto II (593 Acessos)
Aps a fecundao do vulo pelo espermatozide o Esprito reencarnante ligado ao embrio, constituindo um ser humano que habitar ventre...


Adicione este artigo nas suas redes sociais!
 

Seja Bem Vindo!