1

Para Refletir...

"A questo mais aflitiva para o esprito no Alm a conscincia do tempo perdido." - Chico Xavier

 
Erro
  • XML Parsing Error at 1:102. Error 9: Invalid character

PDFImprimirE-mail
Avaliação do Usuário: / 4
PiorMelhor 

FEDERAO ESPIRITA BRASILEIRA

cap6O Brasil j contava com vrias sociedades espritas prestigiosas, mas contrariando as instrues do plano invisvel, cada qual com o seu programa particular, descentralizando a ao renovadora. A Federao Esprita Brasileira, fundada em 1884, no Rio de Janeiro, por Elias da Silva, Manoel Fernandes Figueira, Pinheiro Guedes e outros companheiros de ideal esprita, aguardava, sob a proteo de Ismael, a ocasio propcia para desempenhar a sua tarefa junto aos grupos do Pas, no sentido de feder-los, coordenando-lhes as atividades, sempre dentro dos princpios da Doutrina. Em mais um dos encontros de Ismael com o nosso Mestre Jesus, ouviu dEle as seguintes palavras: "Ismael, concentraremos todos os nossos esforos, a fim de que se unifiquem os meus discpulos encarnados

(...) Na ptria dos meus ensinamentos, o Espiritismo ser o Cristianismo revivido na sua primitiva pureza. (...) Procurars, entre as agremiaes da Doutrina, aquela que possa reunir no seio todos os agrupamentos: colocars a a tua clula, (...) a caridade pura dever ser a ncora da tua obra e valer mais que todas as cincias e as filosofias , e ser com esta clula que conseguirs consolidar a tua Casa e a tua obra". (Xavier, Francisco Cndido, 1 996 p.220).

Ismael, na condio de trabalhador devotado da seara do Cristo, cumpre fielmente a sua misso, e na Federao Esprita Brasileira, assenta a sua tenda de trabalho, tendo como base o seu lema imortal: "Deus, Cristo e Caridade".

Mais tarde, Bezerra de Menezes, aquele a quem os espritas, com justa razo, respeitam como o apstolo e mentor na seara do Cristo, assumiu a direo da Federao Esprita Brasileira, fazendo desta Instituio o porto seguro a todos os coraes. Hoje, essa Organizao Federativa o programa ideal da Doutrina Esprita no Brasil. Ela o norte a guiar as Entidades a ela vinculadas e trabalha incansavelmente pela unificao, cuja semente foi lanada pelo prprio Jesus quando disse: "Nisto, conhecero todos que sois meus discpulos, se tiverdes amor uns aos outros". -(Joo, 13: 34-35). Com estas palavras, o Mestre nos alertava para a necessidade da unio, pois s assim seremos fortes.

Mais tarde, Kardec ouviu do Esprito de Verdade: "Espritas! Amai-vos, este o primeiro ensinamento; instru-vos, este o segundo" (O Esprito de Verdade Evangelho Segundo o Espiritismo").
Algum tempo depois, o nosso apstolo e mentor Bezerra de Menezes quem nos ensina: "Solidrios seremos unio. Separados uns dos outros, seremos pontos de vista".

O objetivo da Unificao fortalecer e facilitar o Movimento Esprita, que o conjunto das atividades que tem por objetivo levar a Doutrina Esprita a toda a Humanidade, atravs do seu estudo, da sua prtica e da sua divulgao, sempre com base na codificao Kardequiana, e trar como resultado a aproximao dos Espritas e das Casas Espritas, proporcionando o progresso das Instituies. A Instituio Esprita que se torna adesa Federativa Estadual passa a fazer parte do Movimento Estadual Esprita, enriquecendo-se atravs da troca de experincias, nunca, porm, sendo pressionada no seu modo de agir e tambm vendo sempre respeitadas a sua liberdade e responsabilidade.
No dia 5 de outubro de 1949, por ocasio da Grande Conferncia Esprita no Rio de Janeiro, com a participao de vrios dirigentes de Instituies Espritas, foi firmado um acordo, que passou a ser chamado "PACTO UREO", em virtude da sua importncia para o Movimento Esprita.
Com esse acordo, o antigo Conselho Federativo da FEB, que federava diretamente os Centros Espritas de todo o Pas, foi substitudo pelo Conselho Federativo Nacional -CFN, integrado pelas Federaes e Unies representativas dos Movimentos Espritas estaduais e do Distrito Federal, ficando determinado que o CFN ser presidido pelo Presidente da FEB.

Aps a assinatura do Pacto ureo, foi criada a "Caravana da Fraternidade", com a finalidade de levar aos Movimentos Espritas dos Estados do Norte e Nordeste do Pas o conhecimento da criao do Conselho Federativo Nacional, convidando-os a participarem do novo rgo. Essa iniciativa foi coroada de pleno xito. Atualmente, todos os Estados brasileiros tm sua representao esprita no CFN, cujo objetivo promover a unio dos espritas e a unificao do Movimento Esprita.

A Misso do Brasil como Ptria do Evangelho
Clia Urquiza de S
( luz da obra "Brasil, Corao do Mundo, Ptria do Evangelho",
de autoria de Francisco Cndido Xavier, pelo esprito Humberto de Campos.)

Artigos Relacionados:
A misso do brasil como ptria do evangelho. -VIII (5931 Acessos)
CONSIDERAES FINAIS. Diante do exposto, a que concluso chegamos? Somos o Corao do Mundo, Ptria do Evangelho? Ou no somos? ...
A misso do brasil como ptria do evangelho. - VI (3734 Acessos)
O SCULO XIX. O sculo XIX, entre outros acontecimentos, nos trouxe o Consolador prometido por Jesus. Faamos aqui um parntese, a fim de...
A misso do brasil como ptria do evangelho. - V (3750 Acessos)
O MOVIMENTO ABOLICIONISTA Em todas as outras naes do continente americano, a escravido j havia sido abolida. S ns os brasileiros...
A misso do brasil como ptria do evangelho. - IV (3207 Acessos)
INCONFIDNCIA MINEIRA Estamos no reinado de D. Maria I, a Piedosa, a qual, escravizada ao seu fanatismo religioso e s opinies dos seus...
A misso do brasil como ptria do evangelho. - III (4360 Acessos)
A ESCRAVIDO NO BRASIL. Durante trs longos sculos, o Brasil viveu a pgina negra da escravido. comum se atribuir esse acontecimento...


Adicione este artigo nas suas redes sociais!
 

Seja Bem Vindo!