1

Para Refletir...

"A caridade o processo de somar alegrias, diminuir males, multiplicar esperanas e dividir a felicidade para que a Terra se realize na condio do esperado Reino de Deus." - Emmanuel

 
Erro
  • XML Parsing Error at 1:102. Error 9: Invalid character

PDFImprimirE-mail
Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 

O que

  • o conjunto de princpios e leis, revelados pelos Espritos Superiores, contidos nas obras de Allan Kardec que constituem a Codificao Esprita: O Livro dos Espritos, O Livro dos Mdiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Cu e o Inferno e A Gnese.
  • O Espiritismo uma cincia que trata da natureza, origem e destino dos Espritos, bem como de suas relaes com o mundo corporal. Allan Kardec (O que o Espiritismo Prembulo)
  • O Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que est na Terra; atrai para os verdadeiros princpios da lei de Deus e consola pela f e pela esperana. Allan Kardec (O Evangelho segundo o Espiritismo Cap. VI 4)

O que revela

  • Revela conceitos novos e mais aprofundados a respeito de Deus, do Universo, dos Homens, dos Espritos e das Leis que regem a vida.
  • Revela, ainda, o que somos, de onde viemos, para onde vamos, qual o objetivo da nossa existncia e qual a razo da dor e do sofrimento.

Sua abrangncia

  • Trazendo conceitos novos sobre o homem e tudo o que o cerca, o Espiritismo toca em todas as reas do conhecimento, das atividades e do comportamento humanos, abrindo uma nova era para a regenerao da Humanidade.
  • Pode e deve ser estudado, analisado e praticado em todos os aspectos fundamentais da vida, tais como: cientfico, filosfico, religioso, tico, moral, educacional, social.

Seus ensinos fundamentais

  • Deus a inteligncia suprema, causa primeira de todas as coisas. eterno, imutvel, imaterial, nico, onipotente, soberanamente justo e bom.
  • O Universo criao de Deus. Abrange todos os seres racionais e irracionais, animados e inanimados, materiais e imateriais.
  • Alm do mundo corporal, habitao dos Espritos encarnados, que so os homens, existe o mundo espiritual, habitao dos Espritos desencarnados.
  • No Universo h outros mundos habitados, com seres de diferentes graus de evoluo: iguais, mais evoludos e menos evoludos que os homens.
  • Todas as leis da Natureza so leis divinas, pois que Deus o seu autor. Abrangem tanto as leis fsicas como as leis morais.
  • O homem um Esprito encarnado em um corpo material. O perisprito o corpo semi-material que une o Esprito ao corpo material.
  • Os Espritos so os seres inteligentes da criao. Constituem o mundo dos Espritos, que preexiste e sobrevive a tudo.
  • Os Espritos so criados simples e ignorantes. Evoluem, intelectual e moralmente, passando de uma ordem inferior para outra mais elevada, at a perfeio, onde gozam de inaltervel felicidade.
  • Os Espritos preservam sua individualidade, antes, durante e depois de cada encarnao.
  • Os Espritos reencarnam tantas vezes quantas forem necessrias ao seu prprio aprimoramento.
  • Os Espritos evoluem sempre. Em suas mltiplas existncias corpreas podem estacionar, mas nunca regridem. A rapidez do seu progresso intelectual e moral depende dos esforos que faam para chegar perfeio.
  • Os Espritos pertencem a diferentes ordens, conforme o grau de perfeio que tenham alcanado: Espritos Puros, que atingiram a perfeio mxima; Bons Espritos, nos quais o desejo do bem o que predomina; Espritos Imperfeitos, caracterizados pela ignorncia, pelo desejo do mal e pelas paixes inferiores.
  • As relaes dos Espritos com os homens so constantes e sempre existiram. Os bons Espritos nos atraem para o bem, sustentam-nos nas provas da vida e nos ajudam a suport-las com coragem e resignao. Os imperfeitos nos induzem ao erro.
    Jesus o guia e modelo para toda a Humanidade. E a Doutrina que ensinou e exemplificou a expresso mais pura da Lei de Deus.
    A moral do Cristo, contida no Evangelho, o roteiro para a evoluo segura de todos os homens, e a sua prtica a soluo para todos os problemas humanos e o objetivo a ser atingido pela Humanidade.
  • O homem tem o livre-arbtrio para agir, mas responde pelas conseqncias das suas aes.
  • A vida futura reserva aos homens penas e gozos compatveis com o procedimento de respeito ou no Lei de Deus.
  • A prece um ato de adorao a Deus. Est na lei natural e o resultado de um sentimento inato no homem, assim como inata a idia da existncia do Criador.
  • A prece torna melhor o homem. Aquele que ora com fervor e confiana se faz mais forte contra as tentaes do mal e Deus lhe envia bons Espritos para assisti-lo. este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade.
Artigos Relacionados:
Novas Idias e a Doutrina (1132 Acessos)
Acho que ningum tem dvida da necessidade de fortalecer o pensamento esprita. Antes, porm, de pensar nisto ou em divulg-lo, deve todo...
Plato: doutrina de escolha das provas (1865 Acessos)
Revista Esprita, setembro de 1858 Vimos, pelos curiosos documentos clticos que publicamos em nosso nmero de abril, a doutrina...
Enjos e desejos da gestante na viso esprita (7560 Acessos)
Com o desenvolvimento da gravidez, medida que o embrio vai se estruturando, conforme o molde energtico dado pelas matrizes...
Estupro e Aborto na viso esprita (2375 Acessos)
Em diversas oportunidades, quando fizemos palestra sobre reencarnao e aborto, fomos questionados posteriormente sobre a dolorosa e...
Nascimento da Educao Esprita (1063 Acessos)
Cada fase da evoluo histrica marcada por uma nova concepo do homem e do mundo. conhecido o esquema formulado por Augusto Comte mas...


Adicione este artigo nas suas redes sociais!
 

Seja Bem Vindo!