1

Para Refletir...

"A obra prossegue com o amparo divino. Nem desânimo, nem pressa, equilíbrio." - Bezerra de Menezes

 

A missão do brasil como pátria do evangelho. - VII

PDFImprimirE-mail
Avaliação do Usuário: / 4
PiorMelhor 

FEDERAÇÃO ESPIRITA BRASILEIRA

cap6O Brasil já contava com várias sociedades espíritas prestigiosas, mas contrariando as instruções do plano invisível, cada qual com o seu programa particular, descentralizando a ação renovadora. A Federação Espírita Brasileira, fundada em 1884, no Rio de Janeiro, por Elias da Silva, Manoel Fernandes Figueira, Pinheiro Guedes e outros companheiros de ideal espírita, aguardava, sob a proteção de Ismael, a ocasião propícia para desempenhar a sua tarefa junto aos grupos do País, no sentido de federá-los, coordenando-lhes as atividades, sempre dentro dos princípios da Doutrina. Em mais um dos encontros de Ismael com o nosso Mestre Jesus, ouviu dEle as seguintes palavras: "Ismael, concentraremos todos os nossos esforços, a fim de que se unifiquem os meus discípulos encarnados

(...) Na pátria dos meus ensinamentos, o Espiritismo será o Cristianismo revivido na sua primitiva pureza. (...) Procurarás, entre as agremiações da Doutrina, aquela que possa reunir no seio todos os agrupamentos: colocarás aí a tua célula, (...) a caridade pura deverá ser a âncora da tua obra e valerá mais que todas as ciências e as filosofias , e será com esta célula que conseguirás consolidar a tua Casa e a tua obra". (Xavier, Francisco Cândido, 1 996 p.220).

Ismael, na condição de trabalhador devotado da seara do Cristo, cumpre fielmente a sua missão, e na Federação Espírita Brasileira, assenta a sua tenda de trabalho, tendo como base o seu lema imortal: "Deus, Cristo e Caridade".

Mais tarde, Bezerra de Menezes, aquele a quem os espíritas, com justa razão, respeitam como o apóstolo e mentor na seara do Cristo, assumiu a direção da Federação Espírita Brasileira, fazendo desta Instituição o porto seguro a todos os corações. Hoje, essa Organização Federativa é o programa ideal da Doutrina Espírita no Brasil. Ela é o norte a guiar as Entidades a ela vinculadas e trabalha incansavelmente pela unificação, cuja semente foi lançada pelo próprio Jesus quando disse: "Nisto, conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros". -(João, 13: 34-35). Com estas palavras, o Mestre nos alertava para a necessidade da união, pois só assim seremos fortes.

Mais tarde, Kardec ouviu do Espírito de Verdade: "Espíritas! Amai-vos, este o primeiro ensinamento; instruí-vos, este o segundo" (O Espírito de Verdade Evangelho Segundo o Espiritismo").
Algum tempo depois, é o nosso apóstolo e mentor Bezerra de Menezes quem nos ensina: "Solidários seremos união. Separados uns dos outros, seremos pontos de vista".

O objetivo da Unificação é fortalecer e facilitar o Movimento Espírita, que é o conjunto das atividades que tem por objetivo levar a Doutrina Espírita a toda a Humanidade, através do seu estudo, da sua prática e da sua divulgação, sempre com base na codificação Kardequiana, e trará como resultado a aproximação dos Espíritas e das Casas Espíritas, proporcionando o progresso das Instituições. A Instituição Espírita que se torna adesa à Federativa Estadual passa a fazer parte do Movimento Estadual Espírita, enriquecendo-se através da troca de experiências, nunca, porém, sendo pressionada no seu modo de agir e também vendo sempre respeitadas a sua liberdade e responsabilidade.
No dia 5 de outubro de 1949, por ocasião da Grande Conferência Espírita no Rio de Janeiro, com a participação de vários dirigentes de Instituições Espíritas, foi firmado um acordo, que passou a ser chamado "PACTO ÁUREO", em virtude da sua importância para o Movimento Espírita.
Com esse acordo, o antigo Conselho Federativo da FEB, que federava diretamente os Centros Espíritas de todo o País, foi substituído pelo Conselho Federativo Nacional -CFN, integrado pelas Federações e Uniões representativas dos Movimentos Espíritas estaduais e do Distrito Federal, ficando determinado que o CFN será presidido pelo Presidente da FEB.

Após a assinatura do Pacto Áureo, foi criada a "Caravana da Fraternidade", com a finalidade de levar aos Movimentos Espíritas dos Estados do Norte e Nordeste do País o conhecimento da criação do Conselho Federativo Nacional, convidando-os a participarem do novo órgão. Essa iniciativa foi coroada de pleno êxito. Atualmente, todos os Estados brasileiros têm sua representação espírita no CFN, cujo objetivo é promover a união dos espíritas e a unificação do Movimento Espírita.

A Missão do Brasil como Pátria do Evangelho
Célia Urquiza de Sá
(À luz da obra "Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho",
de autoria de Francisco Cândido Xavier, pelo espírito Humberto de Campos.)

Artigos Relacionados:
A missão do brasil como pátria do evangelho. -VIII (5579 Acessos)
CONSIDERAÇÕES FINAIS. Diante do exposto, a que conclusão chegamos? Somos o Coração do Mundo, Pátria do Evangelho? Ou não somos?...
A missão do brasil como pátria do evangelho. - VI (3542 Acessos)
O SÉCULO XIX. O século XIX, entre outros acontecimentos, nos trouxe o Consolador prometido por Jesus. Façamos aqui um parêntese, a fim...
A missão do brasil como pátria do evangelho. - V (3519 Acessos)
O MOVIMENTO ABOLICIONISTA Em todas as outras nações do continente americano, a escravidão já havia sido abolida. Só nós os...
A missão do brasil como pátria do evangelho. - IV (3005 Acessos)
INCONFIDÊNCIA MINEIRA Estamos no reinado de D. Maria I, a Piedosa, a qual, escravizada ao seu fanatismo religioso e ás opiniões dos...
A missão do brasil como pátria do evangelho. - III (4064 Acessos)
A ESCRAVIDÃO NO BRASIL. Durante três longos séculos, o Brasil viveu a página negra da escravidão. É comum se atribuir esse...


Adicione este artigo nas suas redes sociais!