1

Para Refletir...

"A paz em ti ajudará a produzir-se a paz no mundo." - Joanna de Ângelis

 

Técnica de Microprogramas de Rádio

PDFImprimirE-mail
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

Antes de produzir um programa de rádio ou de televisão, é indispensável conhecer a audiência a que será dirigida. Poderá tratar-se de uma audiência infantil, juvenil, adulta, espírita ou leiga, etc... Ao estudarmos a psicologia de nosso povo, especialmente das grandes cidades, descobriremos que uma boa parte deles prevalece a mentalidade leiga, ou seja, um enfoque terreno e horizontal da vida.

Audiência Leiga - Descrição:

  1. Indiferentes aos valores religiosos
  2. Mentalidade materialista, egocêntrica, carnal
  3. Inconsciente de necessidade espiritual
  4. Superficial, profana, antropocêntrica
  5. Interessada só no "aqui" e "agora"
  6. Vítima da sociedade de consumo
  7. Agarrada à "Filosofia do bem estar"
  8. Cheia de insatisfação, solidão e vazio interior

A Grande Pergunta: Que tipo de programa será o mais indicado para atingir esta mentalidade?

  1. Os programas mais extensos de informação e palestra tem um lugar e seus bons seguidores.
  2. Os programas compostos de entrevistas tem também seu importante lugar.
  3. Para a mencionada classe de audiência, o microprograma (4 a 5 min de extensão), é particularmente recomendável. Encontra menor resistência na mente secular.
  4. Talvez o ideal, seja a combinação equilibrada de programas médios e curtos, a fim de poder oferecer distintas possibilidades ao ouvinte (como as diferentes iscas de pescador).

Vantagens de um Microprograma

  1. Sua brevidade, o torna mais adaptável à mente leiga.
  2. Não cansa e nem afugenta o ouvinte.
  3. Assegurar um encontro diário com o ouvinte (Sal. 96:2 e 3). Um microprograma deveria ser diário.
  4. Cria um hábito, uma assiduidade no ouvinte, que termina em uma "necessidade". (Casualidade, assiduidade, necessidade).
  5. Se presta para conseguir um espaço gratuitamente.
  6. Consegue um maior número de emissoras para transmitir.
  7. Oferece um alimento espiritual dosado, distribuindo ao longo da semana, em lugar de uma só vez semanal.
  8. Oferece materiais e direções com maior freqüência.
  9. Interessa também à audiência espírita.

Limitações de um Microprograma

  1. Não consegue desenvolver um tema em profundidade.
  2. Um só tema, tão breve, talvez não consiga mover a vontade do ouvinte.
  3. Corre o risco de desgastar o comunicador ou o ouvinte, por causa da rotina diária.

Necessidades de um Microprograma

  1. Requer um bom complemento da palavra falada.
  2. Deveria oferecer diversos materiais impressos: cursos vários, folhetos, livros e outras publicações.
  3. Seria bom que tivesse uma linha telefônica, para permitir o diálogo com os ouvintes.

Resultados de um Microprograma

  1. Pode alcançar um bom nível da população.
  2. Assegura uma maior penetração na audiência.
  3. Portando, uma maior possibilidade de continuidade. (II Tim. 2:9)

A Outra Grande Pergunta: Que tipo de temas oferecer à audiência leiga? Que metodologia seguir?

Temas recomendáveis

  1. Relacionados com as necessidades sentidas dos ouvintes.
  2. De interesse humano, com conclusões espirituais.
  3. Que ofereça solução para os problemas.
  4. Em suma, práticos e positivos.

Metodologia aconselhável

  1. Método de " identificação". I Cor. 9:19-23
  2. Que toma em conta as inquietudes e as preferências do público ouvinte.
  3. Que responde as perguntas que o ouvinte tem em sua mente.
  4. Que utiliza a linguagem do povo.
  5. Que faça do ouvinte o centro de interesse no processo da comunicação.
  6. Que alcance e retenha a atenção do ouvinte.

Três momentos da produção:

  1. Uma mensagem na mente do comunicador.
  2. A redação da mensagem (em livreto).
  3. A transmissão da mensagem (frente ao microfone).
    Dr. Enrique Chaij

Lembretes:

  1. Ao se dirigir aos ouvintes, fale para uma pessoa, e não várias.
    Ex. estimado ouvinte, amigo, etc, e não "amigos, todos vocês," etc.
  2. Deixe seus programas em dia. Não permita "reprise", atraso, ou a falta dele. Deixe sempre programas prontos para emergências.
  3. Atualidades e assuntos de interesse permanente, não ocorrem por acaso, é preciso acompanhar periódicos e todas as fontes possíveis, na área escolhida.
  4. Ao gravar o programa, cuide dos seguintes detalhes:
  • 1º Anexe à fita, o nome, a quantidade de programas gravados, e as datas que deverão ser apresentados.
  • 2º Ao iniciar uma gravação, inicie com uma identificação, exemplo: Atenção operador, programa Momento Espírita, diário, às 9 horas, de Fulano de Tal ou: Atenção operador, programa Vinha de Luz, para o domingo, dia 12 de dezembro, às 15 horas, de Cicrano de Tal.

 

 

 

Artigos Relacionados:
A Força do Rádio e da Televisão na Divulgação da Doutrina Espírita (768 Acessos)
Em Obras Póstumas, disse Allan Kardec (em seu Projeto 1.868): “Dois elementos devem concorrer para o progresso do Espiritismo;...
A técnica do passe (667 Acessos)
Breve Conceito Quando duas mentes se sintonizam, uma passivamente e outra ativamente, estabelece-se entre ambas, uma corrente mental cujo...
Técnicas e Normas de Redação em Rádio (1158 Acessos)
Síntese noticiosa, boletim e boletim ilustrado: Estruturam-se a partir da pirâmide invertida, onde os principais fatos devem ser...
A Lauda: Uso e Apresentação para o Rádio (1627 Acessos)
Uma lauda radiofônica, por excelência, possui: UMA LINHA = 65 toques = 4 a 5 segundos. UMA LAUDA= 12 linhas = 1 minuto. Este...
A Notícia, Fontes e Formas de Apresentação para o Rádio (579 Acessos)
1. A NOTÍCIA: Sumariamente, podemos defini-la como acontecimento/fato ou fenômeno, com relevância e importância pública, social...


Adicione este artigo nas suas redes sociais!